Organizando

Fiz uma compilação das minhas fotos mais queridas e joguei nesse tumblr aqui. Acho que ficou bonito. Espero que gostem.

Anúncios

2 weeks in

IMG_4190

IMG_4194

IMG_4231

IMG_4280

IMG_4309

IMG_4368

IMG_4426

IMG_4435

IMG_4481

IMG_4533

IMG_4563

IMG_4579

IMG_4589

IMG_4622

IMG_4646

IMG_4647

IMG_4657

IMG_4663

IMG_4674

IMG_4709

IMG_4719

IMG_4722

IMG_4734

IMG_4747
Então hoje faz duas semanas que chegamos na Austrália. A princípio, estamos na casa dos pais da Chi, até ter um trabalho fixo e, aí sim, achar um lugar legal pra morar. Mas vai dar.

O mais essencial já foi feito com facilidade nos primeiros dias:
1.Revi Titanic e Nego, conheci sua querida namorada Gemma.
2.Comprei um computador novinho em folha, um MacBookPro bonitinho.
3.Com a ajuda do Titanic e seus parceiros da MacStore, consegui consertar meu computador antigo, que tá servindo como HD de backup e tela extra para assistir seriados.
4.Tenho um número de celular.
5.Abri conta em banco. Levou 15 minutos. Por isso que a Chi ficou tão frustrada quando passamos uma hora e meia tentando resolver umas bobagens no Banco do Brasil. Fora que pra entrar ela teve que ficar NUA, quase. Enquanto aqui o banco nem tem porta, é como uma loja qualquer do shopping. Afinal, não tem dinheiro vivo, praticamente.
6.Refiz contatos com o pessoal com quem já tinha trabalhado na outra oportunidade em Sydney.
7.Estou organizando CV e portfolios.

Algumas vezes fomos pra cidade de carro, leva pouco mais de uma hora. conseguimos estacionar na frente da casa do Nego e passamos o domingo lá. Quando vamos pra City, no mínimo é pra passar o dia todo.

Já peguei o trem daqui de Glenmore Park pro centro cidade, que fica a 50km. O trem em si é tranquilo, bem suave e silencioso, leva pouco menos de uma hora até a Central Station. Tendo um livro ou computador, passa rapidinho. E custa 9 dólares, ida e volta. O único problema é ir da casa até a estação Penrith. Única opção plausível: de carro. Ou alguém dá uma carona, ou dá pra deixar o carro de graça no estacionamento da estação. São 9km daqui até a estação. Dá 10 minutos de carro. De bicicleta, levaria meia hora. Não é ideal, mas por enquanto é o que dá, pra não ter que pagar aluguel. E os pais da Chi nos tratam super bem, claro.

Nas fotos, algo da vizinhança, algo da cidade, uma visita à vó dela (que tem uns carros velhos enferrujados no pátio e umas dez bicicletas, ela não joga nada fora), um churrasco de formatura com direito a cordeiro inteiro no espeto, em homenagem a um primo dela que virou policial, visita a Elizabeth Bay, à bela morada do amigo Nego, janta no amigo Radge, um almoço com ex-colegas de trabalho da Chi em Manly (tentação de ir morar lá) e, fechando, gostosíssimo churrasco de domingo na Maison Yusuf, para o dia das mães. Fui encarregado do hummus. 🙂

O resto das fotos, aqui.

Castor Agradável

Apenas mais uma seleção das melhores buscas do Google que acabaram chegando no meu blog:

sola de pneu (ref FASANO, Victor)
renato portaluppi pelado
ter um sono de porcaria
‘meu dente ficando preto”
hoje nem é sexta, foda to de ferias
nick cave do album mais feliz de bigode tropical
beirinha com a perna cheia de bicho em nova iguaçu
oque e isso quando comeca umas bolhas na maovermelha e dolorida
prostitutas na rua garibaldi em porto alegre
praia do cagalhão
vontade de dar um soco na cara
futebol libertadores gremio antipato
como eu bato punheta com meu primo
tiazinha dormindo de camiseta
tem pessoas que adora me ver sofrer
cortando o próprio cabelo homem
dub zero – castor agradável video
veja o paraglider aterrisando no restaurante chou de bola
velhosdecueca

Poesia pura.

A busca mais intrigante, por ter sido feita 74 vezes e não fazer nenhum sentido: “ber supermercado de nuasok de”.

E a busca que mais levou gente ao meu blog no último ano: “girino”. 261 vezes.

Last goodbyes

IMG_2383

IMG_2991 copy

IMG_3182 copy

IMG_3892 copy

IMG_3983 copy

IMG_4052 copy

Fora isso tudo, teve aniversario de um ano da minha fofura de sobrinha Luiza, que foi bem legal, uma boa oportunidade para ver alguns familiares que ainda não tinha conseguido ver nessa passagem pelo Brasil. E também de me despedir de vários outros.

Ultima semana serviu para acertar últimas coisinhas burocráticas de bancos e procurações e carteiras de motorista. Também passei dez dias lendo 8 diários da minha mãe, de 1980 a 1988. Muita coisa legal, especialmente as frases que soltávamos quando pequenos. E ainda alguns dias marcantes na história do Brasil, como trocas de moedas, jogos da Copa do Mundo e o titulo do Grêmio na Libertadores. 28 de Julho de 1983: “Hoje teve um jogo importante. Está todo mundo feliz. Tu, Beto, te assustou com os foguetes, deu ate’ pena.” Como ela escrevia todos os dias, qualquer fato minimamente relevante era citado. Um belo documento. Li como se fosse um seriado, temporada, por temporada, umas duas horas antes de dormir, todos dias. Como eu também estava no apartamento onde se passaram muitas das cenas, foi uma imersão total. Sonhava com aquilo toda noite.

E também fazer as malas, pegar algumas coisinhas encomendadas pelos amigos de Australia e, claro, festas de despedida no último fim de semana. Sexta no DNA com os amigos, domingo almoço na mamãe e janta na titia. Grandes presenças, incluindo a minha querida Vó Iolanda, que pra sair de casa é um parto. Dizer tchau pra todos é sempre um sufoco, mas tudo bem, eu já deveria estar acostumado.

E foi isso. Agora estamos no meio do voo de Santiago para Sydney, na expectativa dessa nova vida na Australia. Sorte pra nós! Volta e meia passo aqui para deixar alguma notícia.

Aqui, o resto das fotos.

Flight 666

IMG_2584 copy

IMG_2607 copy

IMG_2628 copy

IMG_2630 copy

IMG_2651 copy

IMG_2688 copy

IMG_2696 copy

IMG_2726 copy

IMG_2756 copy

IMG_2792 copy

IMG_2846 copy

IMG_2852 copy

IMG_3453 copy

IMG_3456 copy

IMG_3766 copy

Depois que voltamos da viagem de um mês pelo Brasil, tínhamos apenas três semanas para aproveitar o que dava da família, dos amigos e de Porto Alegre. Muito videogame com os irmãos, muita comida, algumas interações com bons amigos.

No primeiro sábado, tivemos um dos melhores e mais ensolarados dias no Brasil. Ao meio-dia, comemos com minha mãe. Dali, fomos ao Aeroclube do Rio Grande do Sul, onde o capitão Ricardo Scussel Lonzetti nos levou para um belo voo panorâmico. Até eu pilotei um pouquinho o avião, todo tosco, mas pilotei.

Depois, fomos até Belém Novo, na casa do parceirão Gabriel. A Chi adorou a casa e a família dele. Ficou daquele jeito que eu sempre fico quando vou lá. Bombom e Conrado crescerão para ser grandes caras. Na volta, passamos na casa dos pais da Leto, para tirar uma foto do querido Herrera, o supercachorro dela, e acabamos entrando um pouquinho para conversar com seus queridos pais. Na seqüência, esticamos a noite na casa do grande amigo Iuri, um dos points mais quentes de toda Porto Alegre. Um dia perfeito.

Aqui, o resto das fotos, que também incluem uma visita à minha querida vó, ao consultório do Dr. Luiz Pinto, namorado da minha mãe, à casa do irmão do Nego, Sr. Fernando CP e seu filhote Gabriel e um passeio pela Redenção.

Boipeba

IMG_1181

IMG_1214

IMG_1222

IMG_1260

IMG_1373

IMG_1409

IMG_1417

IMG_1495

IMG_1590

IMG_1701

IMG_1706

IMG_1735

IMG_1821

IMG_1838

IMG_1903

IMG_1920

IMG_1932

Depois de 15 horas entre vans, ônibus e barcos, chegamos à Ilha de Boipeba. Graças às dicas da Charlene: uma van saiu do Vale do Capão às 20:30, pegamos o bus em Palmeiras as 22 horas, chegando a Feira de Santana as 4:30 da matina. Conectamos com o ônibus das 5:25, que nos deixou  em Valença às 9:30, para correr ao cais para pegar lancha rápida às 10 da manhã. Depois de carregar as malas por 20 minutos sob o sol escaldante, entramos na pousada pelas 12:00. Ufa!
 
A princípio, ficaríamos uns 3 dias em Morro de São Paulo e 3 dias em Boipeba. Por causa de algumas mudanças nas datas de Recife, acabamos ficando com menos dias para a Bahia, por isso acabamos cortando Morro de SP. Acho que acabou ficando melhor assim. Boipeba é uma ilhazinha ao sul de Morro de SP. Não há carros. O céu é estrelado demais. A lua estava cheia, fazendo o mar brilhar em prateado, marcando uma sombra dura na areia. Espetacular.
 
A maior parte do tempo passamos na praia da Cueira, emoldurada por belas e intermináveis palmeiras. Com o avanço gradual da maré, as palmeiras da primeira fileira se dobram em direção ao mar, criando providenciais sombras na praia.
 
Restaurantes recomendados: Restaurante da Analia (perto do portinho) e o Panela de Barro (mais para o centro da vila dos locais).
 
Ficamos hospedados na Pousada Tassimirim, por indicação do amigo Christian. Bom café da manhã, nos dois primeiros dias foi até atendimento exclusivo, pois eramos os únicos hospedes. Mas o grande hit da pousada é a localização. A 15 minutos caminhando do centrinho, 5 minutos da praia do Tassimirim, 25 minutos da Cueira. E a prainha da frente da pousada também quebra o galho, para ver o pòr do sol de dentro da agua quentíssima.
 
Valeu a pena, como fechamento da parte tropical da viagem. Dali, pegamos a lancha rápida, depois um ônibus até Bom Despacho, daonde pegamos a balsa para Salvador. E um táxi para o hotel, que ficava perto do Aeroporto, daonde saiamos para SP na manha seguinte. Pegamos um hotelzinho meia boca, mas que tinha piscina, café da manhã e uma papagaia muito simpática que cantava “Ilari-lari-è, Ò, Ò, Ò”.
 
E vou dizer: em toda viagem pela Bahia, incluindo os lugares mais interioranos e solitários, nunca senti qualquer especie de ameaça à segurança. Muito mais seguro do que os bairros mais abastados de Porto Alegre.

O resto das fotos, também beneficiadas pela recuperação dos arquivos, está aqui. Como o computador estragou no meio da estadia em Boipeba, acabei repetindo algumas fotos no último dia.

Movies Roundup

Fiquei um tempo sem postar os filmes que tenho visto, mas anotei. Faz tanto tempo que não lembro bem a impressão que tive no dia, por isso não deveria acumular tanto sem escrever. Aí vão:

Django – Entretenimento puro. Se pensar demais, estraga. Mais um show do Christopher Waltz. Nota 9.0

Silver Linings Playbook – Divertido. Vale a pena conferir. Nota 8.8

Looper – Bom filme. Nota 8.5

Sleepwalk With Me – Estranho, tem algumas coisas boas. Nota 8.2

Searching for Sugarman – Geralmente, quando vejo documentários, são muito bons. Esse não é exceção. Excelente. Dica do Firpo, dou a dica da mesma maneira que ele deu: vejam sem medo e, principalmente, sem ler nada sobre. Vai que é maravilha. Que história! Que homem! Que vida! Nota 9.5

Spring Breakers – A maioria das pessoas vai achar esse filme uma merda, por que é uma merda. Mas eu estava sofrendo de jetlag e curti a trilha sonora e as cores, o James Franco mucho lôco, hilariante, fiquei dançando na cadeira, curtindo o visual. Não recomendo, mas eu gostei. Também, fui numa pré-estreia gratuita, a convite da irmã da Chi, que trabalha com cinema. Nota 8.5

Flight – Esse filme tava na minha lista de filmes para ver, por acaso fui procurar na lista do voo Santiago – Sydney. Jurei que não teria, afinal, fala de um acidente aéreo. Mas tinha. E eu assisti no avião. Legal, mas esperava mais. Também, ver filme sem legenda no avião é um saco, só se ouve uns 60% das palavras. Nota 8.5