Arena

IMG_2288

IMG_2316

IMG_2330

IMG_2358

IMG_2359

IMG_2363

IMG_2385

IMG_2491

IMG_2506

IMG_2517

Graças aos irmãos Felipe e Roberto, que me compraram um ingresso, pude ir à inauguração da Arena do Grêmio, no dia 8 de Dezembro de 2012.

Historicamente, foi legal ter estado lá. O show em si, parecia mais bonito pelo telão do que ao vivo. Parece que foi um espetáculo mais projetado para a transmissão televisiva do que para os quase 60 mil presentes, na sua grande maioria pagantes.

As apresentações foram legais, especialmente a parte do Borghettinho tocando gaita. A banda militar também foi legal e todas outras coreografias foram no mínimo… adequadas? Talvez não seja a palavra. A única coisa completamente fora de contexto e sem nenhuma justificativa foi o Blue Man Group. E foi provavelmente a parte mais cara do espetáculo todo, se julgarmos por duração. Ninguém curtiu, ninguém entendeu. Tivessem contratado algum dos especulados, como AC/DC, Foo Fighters, até SHAKIRA… ou SKANK, que seja, pelo menos algo que tenha a ver com futebol, teria sido bem mais legal (e barato).

É aí que entra a outra parte da crítica: por que gastar 20 milhões de reais numa inauguração de estádio? Não sei se esse valor foi divulgado apenas para justificar os preços abusivos das entradas (que inclusive os sócios, que pagaram o ano inteiro mais caro para ir ao Olímpico como uma forma de ajudar na história da Arena, tiveram que comprar), mas foi um tiro no pé. E depois dizem que pagar 12 milhões para o Luxemburgo por títulos que não ganham há 17 anos é absurdo?

Claro que o interesse de fazer uma inauguração pomposa era da OAS e do Paulo Odone, para colherem os frutos desse sucesso que foi a construção. Mas por que isso tem que sair do bolso dos que foram assistir? Afinal, como já frisei antes, o espetáculo era melhor visto por quem não pagou e assistiu pela TV (as pessoas que realmente importam ao Odone e à OAS). Tudo que se via da TV (exceção do gramado LAMENTÁVEL) parecia bonito.

Pequenos detalhes já citados por muitos depois do jogo:

-MUITA coisa para terminar a obra. Escadas eram puro cimento, goteiras, cabos atravessados.
-As cadeiras imundas, por causa da obra ainda em andamento. Tive que buscar água e papel no banheiro para poder sentar sem deixar minha roupa branca de poeira.
-O telão ameaçou falhar, mas, na hora H, contando com uma hora de atraso no início do show, acabou funcionando.

Mas, já deu pra ver que foi tudo projetado sob medida e com planejamento. A parte da rampa que leva ao pátio de circulação é excelente, deixando espaço de sobra para estacionamento de veículos no térreo. O espaço entre as fileiras de cadeiras é um pouco apertado, mas isso é minimizado pelo fato de que cada grupo de cadeiras tem sua própria porta, assim, o máximo que se precisa caminhar para chegar à sua cadeira é meia fileira.

E um alerta: aqueles que escolheram a primeira fila de cadeiras (A) da parte superior do estádio terá problemas para ver o jogo. É o único anel que não tem acrílico no parapeito, tem uma barra de ferro e alguns cabos de aço. Prejudica bastante a visão do campo.

Fora isso, discordei um pouco da contratação do Hamburgo para a inauguração, mais do que nada por eles terem jogado um dia antes. É muito caça-níquel ir até o Brasil só pra recolher 800 mil euros e ainda sair reclamando. Não que não tenham jogado com vontade, pelo contrário, mas preferia ter algum time como Peñarol ou Nacional, que dariam mais dignidade ao evento.

Mais fotos, aqui.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s