ResumenPelis

Sei que faz tempo que não posto nada aqui sobre os filmes que tenho visto.

Pois tenho visto várias coisas em casa, coisas antigas, documentários e seriados. Tenho baixado alguns filmes antigos em HD. Filmes no cinema ou mesmo filmes desse ano, muito pouco. Mas falarei um pouco aqui sobre eles.

Pra começar, uma febre tomou conta da casa: animações do Hayao Miyazaki. Eu ja’ tinha visto Spirited Away, que revimos, tambem vimos Ponyo (EXCELENTE), My Neighbour Totoro and Howl’s Moving Castle. Todos belíssimos, visualmente. Todos tinham opção de assistir dublado em inglês, mas o som em japonês é excelente e dita o clima.

Alien – Assisti ao primeiro filme da serie Alien em HD, bem legal tambem.

You Don’t Know Jack – Um filme que foi feito direto para a televisão, contando a história real do médico Jack Kervokian, um dos grandes defensores da eutanásia. Interessante. Bela atuação do Al Pacino.

Madagascar 2 – Bom, gosto dos personagens e queria assistir antes que saísse o 3, que parece bom.

Old School – Não entrei no clima dessa comédia.

The Blind Side – Mais um filme com Sandra Bollocks. Nada mal.

The Assassination of Jesse James by the Coward Robert Ford – Brad Pitt diz que esse é, dentre os filmes em que atuou, seu preferido . Achei legal, apesar de um pouco longo. Casey Affleck tem atuação excelente.

The Godfather 1 & 2 – A cada 7 anos é necessário rever os dois Il Padrino que interessam, pra lembrar das regras básicas da vida. Algo foda.

Ok, agora os mais novos, que podem ser considerados para os melhores (e piores) do ano:

Extremely Loud & Incredibly Close – Tom Hanks e Sandra Bullock num filme pretensioso que acaba meio xarope, cochilei um pouco. Não li o livro. Nota 7.5

Living in a Material World – um documentario de mais de 3 horas dirigido pelo Martin Scorsese. Recomendo bastante, muito inspirador. Nota 9.3

Kung Fu Panda 2 – Decente. Nota 8.4

Rum Diary – Mais um filme que mostra Johnny Depp interpretando Hunter S. Thompson. Divertido. Nota 8.5

My Week with Marilyn – Caprichado esse filme, bem bonito visual. Curti. Nota 8.8

Back and Forth – BOM documentário sobre Foo Fighters. Bastante focada no Dave Grohl e seu ego (bom sujeito, melhor baterista da historia do rock, depois do Bonzo) e nas constantes mudanças de formação. Nota 9.0

The Hunger Games – Esperava mais desse super hypada mega produção. Mas deu pra se divertir. Fiquei um pouco incomodado com as trocas de regras no meio do jogo. Nota 9.0

The Avengers 3D – Fui ver esse filme em 3D sem querer, e do 3D sempre me arrependo muito. Merda, tudo mais escuro, mal enfocado. E mais caro, agora não emprestam mais os óculos aqui, tem que comprar. Já tenho seis pares em casa. Mas o filme em si é bom, graças ao Iron Man/Robert Downey Jr. e ao Hulk/Mark Ruffalo. Todas as melhores partes do filme envolvem o Hulk, que tá muito melhor do que nos dois filmes que tem ele como titular. Também fico meio incomodado quando os vilões ou mesmo heróis têm poder demais. Fica um estilo brincadeira de criança, quando um dizia “soco de 1 tonelada”, o outro “5 toneladas”, o outro “infinitas toneladas” e o outro “INFINITAS TONELADAS VEZES DOIS”, “INFINITAS TONELADAS VEZES INFINITO AO QUADRADO”. Mas filmes de heróis seguem os tops “tem que ver no cinema senão não tem graça”. Nota 9.2

Intouchables – Apesar de um pouco exageradas as coisas que o ajudante fala no filme, é engraçado. Gostei da fotografia. Nota 9.1

Desses, apenas dois no cinema. E duas experiências mais ou menos negativas. Muita gente, muita gente comendo pipoca, muita gente entrando atrasada, abrindo a porta, passando na frente. Muita gente mal educada avacalhando o filme. Daqui a pouco desisto de vez de ir ao cinema. Tô ficando velho. Não consigo mais tolerar a CATERVA. Grupos de homens ingleses, principalmente, por que vamos num dos poucos cinemas da Barcelona que apresentam filmes com som original.

Entre seriados, resolvi dar uma chance para The Walking Dead. A ideia corrente é que, na segunda temporada, a coisa degringolou um pouco, o que gerou uma queda na audiência, resultando na demissão de uns cabeças da produção. Logo, a coisa melhora de novo. Eu tô gostando até agora, a primeira temporada é realmente muito boa, tensa e sempre deixa os capítulos no tal CLIFFHANGER. Esse fim de semana, tava sozinho em casa e fiquei até 4 da matina vendo, assisti sete capítulos encarreirados. Faltam apenas 4 para me juntar à fila de espera pela terceira temporada.

Chispa

Logo a mesma terraza, mais ao anoitecer. Não é feia essa vista.

Heights

Outro dia conhecemos uma sueca que me contatou através do CouchSurfing para uma conversa sem compromisso. Ela está em Barcelona trabalhando como ajudante de uma menina fisicamente debilitada e ela mais as outras duas meninas que ajudam estão hospedadas na Barceloneta. Ao ser mudadas de prédio, acabaram passando dois dias em um apartamento aleatório que tinha um terraço com belíssima vista. Acabaram promovendo uma pequena reunião ali. Quando cheguei e vi a situação privilegiada, corri de volta pra casa pra pegar minha câmera, ignorando os oito andares de escada sem elevador. Voltei todo suado, mas valeu a pena.

PS: as cincos primeiras fotos são a partir do nosso prédio mesmo. A primeira é uma janta louca que a Chi me preparou baseada nessa receita. Depois uma nuvem pipocão dessas que dá gosto de ver. E a chegada do verão, em mais uma dessas fotos que eu já postei aqui umas 15 vezes, da beira da praia de Barceloneta, a praia suja, lotada, mas bonitinha de ver de cima.

Dj Deró

Outro dia foi aniversário do amigo Binho. Foi sediado no nosso terraço. Praticamente tudo foi organizado e providenciado pelo aniversariante e sua companheira Leila. Evento excelente, pela primeira vez tivemos eletricidade no terraço (o Binho providenciou uma longa extensão pra puxar a luz de casa), o que permitiu música e luz. Consequentemente, a função foi até passadas da 1 da matina, tendo como ponto alto a minha seleção musical de músicas de reunião dançante, que levou a galera ao delírio. Singalongs fatais para Bon Jovi e coreografias para “Let A Boy Cry” da Gala foram os destaques.

Feliz aniversário, Binho!

Curiosidade: a Leila cresceu a vida inteira na Portugal, a menos de 500 metros da minha casa da Luzitana, frequentava a Sogipa e tudo, e nenhum de nós lembramos de ter cruzado um com o outro na vida antes de Barcelona. Boa guria, porém!

Visca Molins!

Meu colega de trabalho Joan joga futebol no que deve ser a quinta divisão da Espanha, no time do povo ao lado do dele, Molins del Rei. A Chi tinha ido para NYC e eu estava sozinho durante o fim de semana, por isso resolvi ir até Molins conferir o jogo do time dele, sobre o qual falamos bastante. Era um jogo importante, a temporada vem chegando ao seu final e seu time estava empatada com esse, concorrendo à promoção para a divisão acima. No jogo de ida, Molins ganhou fora de casa, o que gerou uma certa confusão, na qual Joan tomou uma porrada na cara. Isso apenas adicionava mais um tempero à partida.

Detalhe: aparentemente, 90% equipes pequenas da Catalunya têm uniforme vermelho e amarelo (cores da bandeira) e o uniforme reserva é preto.

Acabei chegando um pouquinho atrasado e me senti num dos poucos lugares disponíveis, fui descobrir ao final do primeiro tempo que sentei-me ao lado da mãe do Joan. Havia bom público. Quando cheguei, estava procurando o cabeça no campo, sabia que jogava de volante, mas não encontrei. Justo, pois estava sentado ao banco, de cara por não jogar justo no dia em que vários familiares e amigos foram vê-lo.

Joan é o camisa 6 das fotos.

Resultado: o canhoto camisa 8 foi o craque da partida com um bom gol de fora da área, Molins ganhou por 3 a 1 e joan conseguiu jogar uns 20 minutos no final, suficiente para cair e machucar a paleta. O importante é que ganhou! Dale Molins.