Regen

Quem disse que não dá pra achar umas fotos legais num dia de chuva? O passeio incluiu visita à Hofbräuhaus, uma das cervejarias mais antigas e tradicionais da Alemanha. De fato, é administrada pelo estado da Bavária. Bom lugar, que tem o compromisso de vender uma das cervejas mais baratas da cidade.

Anúncios

Surfing Eisbach

Duas particularidades de Munich nesse post.

1.No Englischer Garten, há um rio. Nesse rio, dezenas de caras se reúnem para surfar. E outras dezenas de turistas ficam olhando e batendo fotos. Parece divertido. Há muitos vídeos feitos no youtube sobre isso, é só procurar. Uma hora edito o meu.

2.No hotel, na hora do check-in, te pedem para assinar um documento autorizando a cobrança de 1500 euros no teu cartão, caso tu faça soar o alarme de incêndio e venham os bombeiros. Achei isso uma merda, já que escolhemos esse hotel, um pouco mais caro, por ter cozinha. Na primeira noite, preocupados, acabamos comendo num restaurante (excelente vegetariano chamado Vegelangelo).

Na segunda, acabamos comprando uns ingredientes nos bons mercados de Munich e decidimos cozinhar. Antes disso, assistindo um filme, se escuta a sirene de ambulâncias e bombeiros. NOVE caminhões de bombeiros, TRÊS ambulâncias estacionam na rua. Todos hóspedes metem a cabeça para fora num misto de alívio e risadas, pois já sabiam o drama que passaria a pessoa que fez soar o alarme. desci para o lobby para ver o que era e aparece o infeliz. Fiquei assistindo a discussão dele
com o gerente do hotel, que o desafiou a trazer o pão torrado para mostrar que a culpa tinha sido dele. Aparentemente, o gerente entrou no quarto do hotel e o cara estava no banheiro enquanto um pedaço preto de pão queimava no micro que estava em modo grill, à máxima potência.

Dizem os gerentes que foi a primeira vez que acontece isso de fato, nesse ano. E que eles criaram essa regra por causa de gente que coloca velas e incensos nos quartos, ativando o alarme (leia-se: árabes, que são a maioria do bairro).

Duck Ellington

Gostei de Munich, parece uma boa cidade para morar. Mistura a parte boa de Londres com algo de Amsterdam e Berlin.

Bavaria!

Chegar a uma cidade grande depois de estar 4 dias entre lagos, rios e montanhas (e silêncio), é uma experiência chocante. Simplesmente, não parece natural que nos empilhemos em prédios e ruas barulhentas, poluídas, como estilo de vida. Mas enfim, segue a vida e fica mais forte essa ideia de um dia viver em um lugar mais bucólico.

Na real, Munich é uma cidade que nem vale como exemplo forte do que estou dizendo. Até por que a rua feia da cidade, onde ficava nosso (bom) hotel eu não fotografei.

Achensee

Algumas belezas da vida são difíceis de transferir para fotografia, como uma bela lua, um passeio de snowboard. Outras coisas, muitas vezes, são ainda mais bonitas através da foto. Acho que esse lugar se encaixa no segundo caso. Quando se está lá, é bonito, sim, mas é ainda mais bonito olhar as fotos depois. Acho que na hora a gente fica meio em choque com a paisagem a não consegue parar para pensar no quão belo o lugar onde tu estás realmente é.

Mesmo assim, acho que não precisávamos ter dormido duas noites nesse lugar, esse passeio foi suficiente, até por que não tinha muitos lugares para comer, tudo fechava cedo, havia pouca gente. E ainda tendo a questão de não estar comendo carne, nossas opções eram pouquíssimas.

E é claro que a cerveja austríaca é muito boa, mas eu gosto mesmo é de cerveja gelada. 😉

In the meadow we can build a snowman

Uma saída pela neve, em direção ao lago.

Österreich

E seguimos viagem. Acima de Bolzano (BOZEN), todas placas da estrada até chegar na Áustria apresentam nomes em italiano e alemão. Muitas partes da zona do Tirol fizeram parte da Áustria em algum momento da história. Mas é só entrar no país de Arnie, Hitler e Strauss que o italiano some. E, do nada, se vê traços de neve.

Me haviam trovado que de Marcena à Áustria dava umas 3 horas. Demoramos SEIS. Acho que acabamos pegando alguma “rota romântica”, por que pelo menos só pagamos um pedágio.

Chegando perto da cidadezinha onde ficaríamos, uma estradinha sinuosa começa a subir a montanha e os traços de neve começam a ficar mais fortes. Chegando lá: surpresa, realmente estava nevando de noite. Não estávamos preparados para neve, mas tudo bem. Foi um pouco dramático encontrar a pousada no escuro, na neve, mas conseguimos, pelas 23:30 da noite. O lugar era bem bonito. E é por isso que fomos até Achensee.