El Caporal

Tive uma noite meio ruim. Sonhei muito, sonhos estranhos, paranóia com essa história da gripe suína (aqui eles chamam de PORCINA, como a viúva). Acordei às 5 da manhã e não consegui dormir mais de jeito nenhum, uma espécie de febre, tapado é muito calor, destapado é frio, mas sem dor de gargante nem nada mais de sintomas característicos da NOVA GRIPE.

Fui na cozinha, tomei um Nescau, voltei pra cama, rolei ali por uma hora e meia, aí resolvi ver um filme. Revi “The Science of Sleep”, convenientemente. Em certo momento, pensei que talvez devesse vomitar. Agora, levantei da cama e tomei um banho.

Me sinto um pouco melhor, mas vai ser daqueles dias meio ruins de se agasalhar, de suor frio. Veremos.

Saltamontes

E, pra agradar o público familiar, mais 4 do pirralho, agora mostrando os presentes que ganhou (fora os porta-retratos).

Pelotitas Saltantes

Cheguei com 1 hora de atraso. O ar, mais gelado do que o normal, à noite, mas de dia tá até mais quente que em Porto Alegre. Estou sendo muito bem recebido, meu quarto é uma suíte master sensacional, a vista da sacada é privilegiada. Ainda não tá rolando nenhuma internet, porém, o que pode até ser bom, tenho perdido muito tempo com internet ultimamente.

O Lucas, meu primo, é sensacional, um piá muito pilhado que é muito engraçado falando espanhol, evidentemente. Ele começa a falar e encalha no “Pero, pero, pero, pero, pero”. Vai ser meu professor da língua. Uma boa tática que achei pra aprender palavras novas é entrar numa loja tipo Tok & Stok e sair lendo a plaquinha dos produtos, com os nomes.

Próximas tarefas: conseguir tirar dinheiro e achar um mapa da cidade. A primeira semana será relax, para conhecer os lugares mais turísticos da cidade. Depois, talvez aproveite a carona de uns amigos da Tia Mônica pra ir pra neve.

Aqui, umas fotos. Bastante do Lucas, por que os familiares (as tias corujas) pediram. Tem foto dele se babando com o chocolate que ganhou de presente, cortando o cabelo, cortando o cabelo com a Tia Silvita, olhando a ponto do Rio Mapocho, admirando as (subindo nas) esculturas do parque (um hobby dele) e mostrando a coleção de insetos de fricção que ganhou. Ah, e uma foto panorâmica da vista da sacada do meu quarto! A cidade empresarial ao fundo, o centro fica do outro lado dessa montanha da esquerda.

We’re on a road to nowhere

Religulous – Bom documentário que o Gui me indicou. É de autoria do, pelo que entendi assistindo ao filme, comediante Bill Maher. Certamente rolam uns truques de edição e as tentativas repetitivas de inserir sarcasmo e humor incomodam um pouco, mas não dá pra negar que entretém e faz pensar. Tem uma cena com um tiozinho de roxo na frente do Vaticano falando que nem o Christopher Walken que é um espetáculo, se fizessem um filme inteiro dele falando sobre religião, eu assistiria. No terceiro quarto do filme, meio que tá uma arrastada, mas vale conferir. Nota 8.7

Elegy – História baseada no livro “The Dying Animal”, do Philip Roth. Penélope Cruz bem, Sir Ben Kingsley não conseguiu deixar de me lembrar do meu ex-landlord Richard em todas as cenas. Mesmo assim, bom filme, com um final levemente previvísivel demais. Nota 8.9

To the world of the mighty boosh

Fora as chamadas no aparelho de som do aeroporto, nada de diferente na atitude da maioria das pessoas, até agora, Aeroporto de Guarulhos. Muito pouca gente usando máscaras no avião, também não tem muita gente dos staffs de aeroporto e companhias aéreas com o aparato.

Claro que não consigo ficar totalmente imunte aos avisos. Procurarei não colocar tanto o dedo no nariz (nos olhos e boca também) e, se existe uma oportunidade pra eu parar de fazer algo que fiz a vida toda, é de parar de roer unhas (nunca cortei minhas próprias unhas da mão com um cortador). Por sinal, um cara acabou de espirrar aqui atrás de mim, aí rola uma preocupação natural. Heh.

Até que a parada no aeroporto de São Paulo não vai ser tão ruim, não vou precisar nem apelar pros filmes no computador: Juventus passando no Sportv agora, depois rola Real Madrid x LDU. Nada mal.

Durante o vôo de POA pra cá, tive uma idéia: fazer uma parada de alguns dias em SP, quando volta, no fim de setembro. Conan, posso fazer uso daquele convite de estadia? ÓTIMO.

Say it publicicly and you’re insane

Se eu ganhasse 1 real pra cada vez que eu ouvi/li alguém da RBS usar a expressão “A NOVA GRIPE”, eu já poderia me aposentar. O interessante é que tem gente que tá ganhando bem mais de 1 real com essa história, né? O cara que produz o Tamiflu, a empresa que produz as máscaras, entre vários outros.

prasantiago

Malas feitas pro Chile, saio amanhã ao meio dia pra chegar a Santiago só pela meia noite (escala esdrúxula, dia inteiro esperando no aeroporto de Guarulhos). Ainda não sei se teremos internet por lá, pode ser que sim, pode ser que não. De uma forma ou de outra, se eu morrer de gripe, de queda de avião ou de bala perdida (ou MOLA perdida? outro assunto que ninguém mais agüenta), que toquem “Albatross” no serviço funeral e me enterrem com minha jaqueta preferida.

Peace, wigga!

En iyi olduğunuz!

Just as long as my baby is safe from harm tonight

E mais umas: