Every junkie’s like a setting sun

Missão cumprida: assisti ao show do Neil Young. Cheguei 15 minutos atrasado ao local, pois voltei correndo da praia e passei em casa pra comer algo (Bronte e Coogee estavam ótimas, o dia chegou aos 40 graus, não duvido).

Quando consegui entrar no local, My Morning Jacket já estava no fim da terceira música. Tocaram mais umas 4, compridas. Depois de ter visto um show do GARGAREJO, durante 3 horas, quinta, não teve a mínima graça essa curta apresentação (mais curta que o bis do outro dia). Show em arena/estádio é uma MERDA, se comparado. A diferença, podendo ser provada em tão curto espaço de tempo, é abissal. Cheguei até a ficar constrangido com o volume alto do som. As coisas que no show pequeno pareciam divertidas, no estádio ficaram beirando o RIDÍCULO. Ainda mais com todo mundo ainda chegando no lugar, tirava ainda mais qualquer clima de show. Se eu tivesse contando com esse show pra ver MMJ, estaria muito de cara.

Mas o que interessava mesmo era o show do Neil Young. Agora sim, com som melhor, telão pra conseguir ver alguma coisa. Foi um show muito bom. Neil Young não estava com a Crazy Horse, mas a banda mais country dele, com o índio Rick Rosas no baixo, Ben Keith no steel guitar e a mulher dele, Pegi, nos backing vocals, piano, xilofone, etc. E um baterista que não peguei o nome. Neil Young é um mestre absoluto na guitarra elétrica. O que ele faz ali é ALGO FODA.

O show abriu com “Only love can break your heart”, muito boa. Do disco novo, só reconheci “Spirit Road”, que é legal. Os destaques foram “Cortez the killer” e “Cinnamon Girl”, uma depois da outra. Quando eu achava que, realmente, era impossível se emocionar vendo um show através do telão, sentado como se tivesse num cinema gigante, ele pegou o violão e tocou “The Needle and The Damage Done”. “One of these days” também foi bem. Finalizou o set com “Rockin’ in the free world” e voltou depois pra encerrar com um belíssimo cover de Beatles, “A day in the life”.

Infelizmente, não houve nehuma participação especial do Jim James no show.

Update: achei informações mais exatas sobre o show:

Neil Young & His Electric Band

Love And Only Love
Sea Change
Everybody Knows This Is Nowhere
Spirit Road
Cortez The Killer
Cinnamon Girl
Mother Earth
The Needle And The Damage Done
Light A Candle
Four Strong Winds
Unknown Legend
One Of These Days
Get Back To The Country
Words
Just Singing A Song
Rockin’ In The Free World

A Day In The Life

Tour : 2009 Tour of Australia and New Zealand
Band :
Neil Young – guitar, harmonica, pump organ, vocals
Ben Keith – pedal steel, lap steel, guitar, organ, background vocals
Rick Rosas – bass
Chad Cromwell – drums
Pegi Young – background vocals, vibraphone, piano, guitar
Anthony Crawford – background vocals, piano, guitar, bells
Larry Cragg – banjo

Um comentário sobre “Every junkie’s like a setting sun

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s